5 de nov de 2010

Águas ',' The Wall ': Thick as 424 tijolos


 REVISÃO Embora nem sempre fácil de seguir, a ópera rock entregues para os fãs de Pink Floyd em grande forma.


Você pode ver óperas rock na Broadway ou assisti-los no conforto de sua casa em DVD. Mas, do Pink Floyd "The Wall" é a ópera-rock vindo somente para uma arena perto de você.
Trinta e um anos após o marco de trabalho foi lançado como um álbum duplo, rock herói Roger Waters, o mentor / baixista / compositor / cantor co-líder do Pink Floyd, montou uma produção maciça de "The Wall", que ele é tendo em todos os lugares de Montreal e Cidade do México a Moscou e Milan. Na quarta-feira, ele construiu "The Wall" tijolo por tijolo no Xcel de São Paulo Centro de Energia e, claro, trouxe a desmoronar-se duas horas mais tarde. Era um provocador, over-the-top-épico, auto-indulgente espetacular que deixou 15.456 arena freqüentadores animadamente dormente.
Tal como acontece com Green Day "American Idiot" e quem é "Tommy", você precisa de um Playbill para fornecer uma sinopse ou pelo menos de fundo e contexto, pois as óperas rock nunca fazem muito sentido linear, mas eles entregam musicalmente.
"The Wall" é uma exploração autobiográfica de isolamento, alienação e rebelião. Manifesto das Águas "é anti-guerra, anti-autoritária e anti-corporações (apesar de os bilhetes custam até US $ 201). temas de Waters, infelizmente hoje ressoam, e ele atualizou o visual para incluir referências às guerras no Iraque e no Afeganistão e tais termos recém-inventado como iKill e iProfit.
As imagens foram fascinante - tudo de marionetes gigantes para um porco inflável que sobrevoou a platéia com Gerald Scarfe animação (ele trabalhou no filme cult de 1982 "The Pink Floyd Wall") para um grupo de crianças de São Paulo cantando e dançando com Águas como um avião de combate ampliado sobre a arena e se chocou contra a parede, uma estrutura de 30 metros de altura montada durante o primeiro ato.



Fonte:http://www.startribune.com