2 de out de 2009

David Gilmour mostra em DVD On an island e algumas do Pink Floyd


David Bowie, Richard Wright e David Gilmour - Fotos Polly  Samson (mulher de Gilmour)
Nos ensaios para a turnê do álbum "On an island" nos Ray Studios,  David Gilmour comunica aos espectadores de seu DVD duplo "Remember that night" (EMI) que Roger Waters está ensaiando no estúdio ao lado. A seguir, Gilmour sai para dar uma volta e dá de cara com Waters. Os dois se cumprimentam, trocam rápidas gentilezas, um abraço e cada para o seu lado. O Pink Floyd inteiro estava presente porque o tecladista Richard Wright fez a turnê e o baterista Nick Mason participação especial com Gilmour. Waters disse que estava com vontade de voltar para a estrada e Gilmour, numa entrevista, afirmou que fazer alguns shows de vez em quando faz bem à alma. Bem que podia ter dado um estalo neles do tipo “vamos tocar juntos”.
Clique e veja Comfortably Numb com Bowie, Gilmour e Wright
Clique e veja On and Island com Gilmour, Crosby e Nash

"On an island", primeiro disco solo de Gilmour em 22 anos, dividiu a crítica entre os que elogiaram pela sensibilidade e delicado trabalho de guitarra, melodia e arranjos etéreos e os que o acharam um tédio, devagar demais e comprometido por ter seis canções em parceria com sua mulher, Polly Samson, chamada de a nova Yoko Ono. Os detratores não precisavam pegar tão pesado e os apreciadores podiam ter um pouco mais de rigor. No DVD está o show do Royal Albert Hall em 30 de maio de 2006 com a íntegra de "On an island" na primeira parte e não há como negar. O show se arrasta um pouco nessa parte, apesar das belas harmonias, arranjos, execução de uma excleente banda e inspirados solos de guitarra. O rock progressivo do disco se esgarça a ponto de tocar o new age em alguns momentos e nada mais soporífero do que a new age.

Na abertura, Gilmour serve um biscoito fino à massa, três faixas de "Dark side of the moon", "Speak to me", "Breathe" e "Time", com um dos solos mais memoráveis da história do rock. Após este aperitivo, vem ''On an island'' e um intervalo de 20 minutos. Na segunda parte,o público se anima com algumas favoritas do Pink Floyd, a começar por "Shine on you crazy diamond" com participação vocal de David Crosby e Graham Nash, dois rockers históricos dos anos 60 nas bandas The  Byrds e The Hollies. Na seqüência, a viajante "Echoes", o megasucesso "Wish you were here" e a surpresa: David Bowie canta com Gilmour e Wright "Arnold Layne", o primeiro sucesso do Pink Floyd quando Gilmour nem era da banda, e o hino "Comfortably numb" em que a voz mais ríspida de Bowie contrasta com a suavidade de Gilmour.
O disco dois, de "Bonus features", tem algumas redundâncias, como cinco músicas de ''On an island'' num show no Mermaid Theatre. Um momento especial é "Dark Globe", do primeiro LP solo de Syd Barrett após sua saída do Pink Floyd, com participação de Gilmour na produção e guitarra. Foi uma homenagem a Syd, que morreu em junho de 2006 quando rolava a turnê européia de Gilmour.

Gilmour com David Crosby (boné) e Graham Nash
O documentário da turnê é bem interessante, com ensaios e as passagens pela Áustria, França, Itália, com show na Praça de San Marcos em Veneza e na Polônia, em plenos estaleiros de Gdansk no 26º aniversário do sindicato Solidariedade, que lutou pela democracia no país. Gilmour dá declarações políticas e almoça com o líder Lech Walesa.
O documentário sobre a gravação de ''On an island'' mostra sua casa-estúdio flutuante no Rio Tâmisa, uma paisagem bela e inspiradora, com os músicos ensaiando e gravando, depois corta para os famosos estúdios de Abbey Road para o registro de cordas. No final, Gilmour diz que é seu melhor trabalho em 30 anos, o que exclui o álbum "The Wall" lançado em 1979 pelo Pink Floyd. Menos Gilmour, menos.

Enviado por Jamari França -
21.12.2007