26 de nov de 2009

Aqui estão alguns dos discos Gravados pela banda...Pink Floyd



Discografia

Aqui estão alguns dos discos Gravados pela banda.



Um excepcional álbum de estréia, considerado por muitos o melhor do Pink Floyd. The Piper at Gates of Dawn (1967) divide com Sgt do rock progressivo. de marco inicialo perfeita que viria a se tornar um estorvo para o Floyd após a saída de Syd A genialidade a um passo da loucura de Syd Barrett se revela em letras profundas e arranjos imps letras possuem referências a este e outros clássicos da literatrevisíveis. O título do disco veio do livro "The Wind in the Willows" de Kenneth Grahame e váriaura inglesa. The Piper at Gates of Dawn foi uma obra tã Peppers, dos Beatles, o títuloBarret, visto que os álbuns que os seguiram eram sempre comparados e considerados inferiores
.

A Saucerful of Secrets (1968) marca a saída de Syd Barrett da banda e a entrada de David Gilmour. A mente de Syd, sua psique complicada aliada ao uso abusivo de LSD o levaram a um estado de alienação que obrigou os outros integrantes da banda a substituí-lo. As últimas composições de Syd revelam o seu estado psicótico e o disco se torna uma espécie de legado aos seus ouvintes. Por outro lado os componentes restantes se saem bem e conseguem compor e fazer bons arranjos sem a ajuda do mestre.

More (1969) foi uma trilha sonora para o filme de mesmo nome do diretor Barbet Schroeder, feita por encomenda. Obviamente a trilha sonora é muito mais conhecida do que o próprio filme. O disco foi gravado em menos de uma semana e não traz nenhum grande acréscimo à carreira do Pink Floyd.


Ummagumma (1969) é um disco extremamente difícil. Sem a inspiração de Syd Barrett para desenvolver um bom trabalho cada componente da banda compôs e se encarregou da produção de algumas faixas. O resultado é experimental (sem ser inovador nem criativo) e extremamente desigual. Cada componentes trata de destacar apenas a sua parte e o grupo não funciona como uma banda coesa. Algumas faixas foram obviamente colocadas alí apenas para preencher espaço. Deste disco salvam-se talvez apenas a excepcional capa e as versões ao vivo para composições antigas.

Atom Heart Mother (1970) marca um renascimento, o primeiro trabalho do Pink Floyd como uma banda após a saída de Syd Barret. A banda se perde, porém, em arranjos burocráticos e insosos. O disco é mais lembrado pela capa estranha que por seu conteúdo musical ou lírico.


Com Meddle (1971) o Pink Floyd conseguiu finalmente provar que não dependia apenas de Syd Barrett para criar uma obra excepcional. O disco chega a ser considerado por muitos um dos melhores do Pink Floyd. A suite Echoes é até hoje um dos clássicos da banda mais executados. O título é um trocadilho com medalls (medalhas).

Obscured By Clouds (1972) foi mais uma trilha sonora feita por encomenda, ao estilo de More, para o filme The Valley. Trata-se de um disco extremamente bem feito, simples e fácil de ouvir, mas sem grandes destaques.


The Dark Side Of The Moon (1973) é o álbum definitivo do Pink Floyd, o quarto disco mais vendido de todos os tempos e uma unanimidade de crítica. Permaneceu nas paradas durante mais de 20 anos e foi revolucionário em técnicas de estúdio e em conceito. O tema do disco são as aflições e problemas do homem moderno. Estão representados nas diversas músicas a opressão do tempo, do dinheiro, a tecnologia dominadora e finalmente a loucura resultante de tudo isso. Finalmente o Pink Floyd alcançou novamente a unanimidade conseguida em seu primeiro disco. Sublime.

Wish You Were Here (1974) é um tributo da banda a quem a criou e definiu seu estilo. O conceito da ausência e saudade explorado em todo o disco é um pretexto para uma sincera homenagem a Syd Barrett e uma análise dos motivos que o levaram à loucura. Ironicamente Syd Barrett compareceu às gravações do disco (apenas como observador), com a cabeça raspada, tão mal vestido, gordo e sujo que custou a ser reconhecido pela banda.


Animals (1977) marca o início do domínio de Roger Waters sobre os outros integrantes do Pink Floyd. Waters foi o responsável pelas letras e por todos os vocais. O disco é baseado na peça teatral "A Revolução dos Bichos" e trata-se de uma crítica ao sistema capitalista e às diferenças sociais. Os porcos, cachorros e ovelhas das letras representam respectivamente os donos do capital, os burocratas e a população subjugada. A capa, considerada pela maioria a melhor do Floyd, embora pareça uma simples gravura, é na realidade uma foto, e o imenso balão em forma de porco também é real.

The Wall (1979) marca o início do domínio definitivo de Roger Waters sobre o resto da banda, reduzidos a pouco mais do que músicos de estúdio. O conceito desenvolvido por Waters é em parte auto-biográfico e versa sobre a solidão e sobre o domínio das instituições (escola, família, governo, indústria musical) sobre os indivíduos. Foi lançado também em forma de um filme de mesmo nome. Um disco excepcional, extremamente crítico e bonito musicalmente.
Logo após o lançamento de The Wall Roger Waters expulsou Richard Wright da banda. Em meio a um clima tenso de desentendimentos e falta de idéias dentro do grupo a gravadora resolve lançar a excelente coletânea Colection of Great Dance Songs (1981) com as músicas mais bem sucedidas da banda.

The Final Cut (1982) deveria ter sido um trabalho solo de Roger Waters mas foi lançado como sendo do Pink Floyd por motivos comerciais. É considerado por muitos o melhor e por muitos o pior disco da banda. Composto durante a pior fase da guerra fria o disco é um desabafo auto-biográfico de Roger Waters contra os governantes que enviam pessoas para morrer nos campos de batalha (o pai de Waters morreu na guerra). Logo após o lançamento Roger Waters tentou acabar com a banda, gerando uma longa batalha judicial com os outros componentes.
A justiça não considerou que Roger Waters fosse o dono legal do nome da banda e os componentes restantes, Nick Mason e David Gilmour resolveram levar a banda adiante, tratando imediatamente de chamar de volta Rick Wright. Com esta formação e auxiliados por dezenas de músicos de estúdio lançaram Momentary Lapse of Reason (1987). Se por um lado o Pink Floyd estava privado de seu principal compositor, a musicalidade de David Gilmour e dos outros componentes estava novamente liberta o que gerou um disco digno de figurar entre os bons trabalhos da banda.

The Delicate Sound of Thunder (1988) é o segundo álbum ao vivo oficial da banda. Os clássicos, inclusive os compostos por Roger Waters são recriados por uma banda acompanhada de dezenas de excelentes músicos contratados. O Pink Floyd continuou devendo uma gravação ao vivo digna de sua história. A estranha capa é uma alusão aos dois componentes da magia do Pink Floyd e representa o encontro da luz com o som.
The Division Bell (1994) foi lançado após um longo período de inatividade da banda em estúdios ou shows. O tempo excessivo de desenvolvimento e gravação deu à luz um excelente disco. As músicas versam sobre o tema da comunicação ou falta de comunicação.

PULSE (1995) foi o primeiro trabalho ao vivo digno do Pink Floyd. Um dos CDs apresenta uma versão completa ao vivo do álbum Dark Side Of The Moon e o outro aborda os maiores sucessos dos outros discos da banda. Todos os detalhes foram cuidadosamente planejados, a qualidade de som excepcional, a boa escolha das faixas e o excepcional trabalho gráfico da capa.

Existem muito mais discos mas os oficiais são apenas estes